Vocês vão ouvir falar de mim’, disse anestesista que estuprou grávida

O anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso em flagrante nesta segunda-feira (11/7), após enfermeiras do hospital onde trabalhava flagrá-lo estuprando uma paciente que passava por uma cesariana. O caso foi registrado no Hospital da Mulher de São João de Meriti, no Rio de Janeiro. Em postagens no Instagram, o médico mostrava sua rotina na medicina com posts motivacionais, com seus avanços profissionais e mensagens positivas. Em uma delas, ele escreve: “Vocês ainda vão ouvir falar de mim”.

Na primeira postagem do perfil, Giovanni conta que desde pequeno sempre sonhou em ser médico, e que a página serviria para “mostrar algumas experiências na vida e o dia a dia do médico anestesista e desmistificar que anestesia é ruim ou assustadora e mostrar o papel importante dentro da equipe cirúrgica”.

De acordo com a Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCRJ), o médico sedava as mulheres em excesso, e, durante o procedimento, colocava seu pênis na boca da paciente. A Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro disse, em nota, que repudia veementemente a atitude do médico, e que vai colaborar com a investigação.

No vídeo resgatado pela PCRJ, a violência dura 10 minutos. A paciente está deitada na maca, já inconsciente pela anestesia. Com toda a equipe obstétrica presente, do lado esquerdo do lençol, a equipe opera a gestante. Do outro lado, Giovanni tira o pênis da calça e o coloca na boca da paciente. Quando termina, limpa a boca da gestante tentando apagar indícios do crime.

Em fotos do anestesistas nas redes sociais, pessoas revoltadas com o caso comentam que estão enojadas e pedem justiça. Uma delas escreveu: “deve ter abusado até dos bebês”.

Em outra postagem, o suspeito de estupro escreve que “conhecimento nunca é demais, sabedoria é afrodisíaco”, enquanto participava de um treinamento avançado de vida em anestesia, certificado pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA).

a finalidade de incentivar os seguidores que pretendem seguir na mesma área da anestesia, Giovanni incentiva e orienta : “Sempre de cabeça erguida e sorriso. Pq faço o que eu gosto. E hoje estou aqui, colhendo os frutos”.

Violência obstétrica


O estupro cometido pelo anestesista se enquadra como violência obstétrica, que é quando a mulher é desrespeitada, sem controle de sua autonomia, corpo ou ao processo reprodutivo, podendo se manifestar de forma verbal, física, ou neste caso, sexual, com procedimentos desnecessários ou até mesmo proibidos.
PostarEscrevaum Comentário
Cancel