Policial militar que atirou e deixou assaltante tetraplégico é condenada em Rondônia

A Vara da Auditoria Militar condenou a policial militar condenou ontem a 2 anos e três meses de prisão no regime semiaberto, uma policial militar acusada de atirar e ferir gravemente um suspeito de roubo.

O assaltante havia acabado de roubar um celular e foi preso em flagrante, mas tentou fugir da abordagem, quando foi atingido na região lombar, ficando tetraplégico em decorrência do tiro.

O crime aconteceu em 18 de outubro de 2017 na Rua Abílio Nascimento, no bairro Caladinho, zona sul de Porto Velho. A vítima do roubo era cunhado da policial militar.

O acusado na época tinha 23 anos.

Segundo denúncia do MP, logo após o crime, a policial ´plantou´ uma arma sob a guarda do assaltante, para induzir as autoridades a erro e justificar sua tese de legítima defesa.

Posteriormente, foi verificado que a pistola utilizado pelo conduzido tratava-se de um simulacro de arma de fogo, muito semelhante a uma pistola calibre 380.

Ao final da instrução, a policial acabou sendo condenada pelos crimes de crimes de lesão corporal (art. 209, §2º, do Código Penal Militar) e fraude processual (art. 347 do Código Penal), mas poderá recorrer da sentença em liberdade.

Apesar da condenação, a policial possui conceito ótimo na corporação militar, onde atua há mais de 10 anos.
PostarEscrevaum Comentário
Cancel