Ex-empresário nega ter dado golpe no Luva de Pedreiro: 'Ele não é ingênuo'

Novos desdobramentos da polêmica envolvendo Iran Ferreira, o Luva de Pedreiro, e o empresário Allan Jesus surgiram neste domingo (10). Allan foi entrevistado pelo “Domingo Espetacular”, da Record TV, e chorou ao falar sobre as acusações e ameaças que vem sofrendo. O empresário afirmou que pretende provar que é inocente. Na entrevista, ainda foi revelado o valor da multa que o influenciador precisará pagar após a quebra de contrato com o ex-representante.

A reportagem também exibiu trechos da entrevista que não foram ao ar no último programa por conta de uma decisão judicial. A liminar havia vetado menções ao empresário, às queixas envolvendo seu nome, e aos detalhes contratuais. “Eu tenho vivido dias de terror, eu ando na rua com medo. Eu entrei na Justiça porque eu vinha sendo ameaçado constantemente, eu e minha família. Por isso, o que me coube naquele momento foi buscar ajuda”, explicou Allan.

À Roberto Cabrini, Iran criticou Allan Jesus e afirmou que se sentiu “usado” pelo empresário. “Eu confiei muito, botei muita fé nele (Allan). Tiraram proveito da minha ingenuidade, eu me senti pressionado a assinar [o contrato]. Ele disse que ia mudar minha vida, então eu assinei lá sem saber o que estava assinando. Eu caí numa armadilha, fui enganado, eu quero muito o que eu tenho direito. Ele me prometeu muita coisa e não me deu nada, não me deixava ser eu”, afirmou o jovem.

A polêmica entre eles ganhou ainda mais força quando o Metrópoles revelou que Luva de Pedreiro teria somente cerca de R$ 7,5 mil em sua conta bancária, apesar do sucesso com os mais de 14 milhões de seguidores e um contrato assinado com a Amazon para anunciar transmissões de partidas no Prime Video, no valor de R$ 1 milhão. “Ele que fez as duas contas, eu nem sabia senha. Eu só sei assinar meu nome. Ele sempre pedia paciência, que o dinheiro ia cair. Dizia que era pra focar na carreira e não no dinheiro”, disse Iran.

“Ficou insustentável quando eu disse que não ia postar vídeo, porque eu estava cansado, e ele disse que ‘estava chegando pra botar tudo nos eixos’. Aí eu disse: ‘Ele é meu dono pra falar isso?’. Tipo, me obrigando a fazer vídeo, foi quando eu fiz a live. Ele queria que eu ficasse só com ele, sem meus amigos. Mas eu quero é isso, eu quero é me divertir, eu quero é ser feliz, quero ser eu, quero ser um ser humano”, continuou.

Pela quebra de contrato e por assinar com novos representantes, Iran e seus pais precisarão pagar uma multa de R$ 5,2 milhões para a empresa de Allan, a ASJ Consultoria. “Só fiquei sabendo dessa multa do contrato depois que eu trouxe aqui para a Bahia e mandei ler. Antes ele não tinha explicado nada. Não contou para gente. Só tenho gratidão pelo que o Falcão fez com a gente. E à equipe dele que nos recebeu. Foi nossa felicidade. Nós vamos levar isso para o resto da vida”, contou Seu Vadinho, pai do influenciador, chorando.

Enquanto isso, Allan Jesus apontou que nunca usurpou nada do influenciador. “Nunca roubei um real dele. Eu o considero meu amigo. O que eu vejo na internet, eu ainda não acredito. Eu nunca aprisionei ninguém, ele estava na Bahia com a família dele, eu nem fui lá justamente para que ele ficasse mais à vontade, para que ficasse com os amigos. Ele sempre fez o que ele quis fazer. Nunca mandei nada, só existiam orientações para uma pessoa pública”, garantiu.

Na reportagem, o empresário explicou que contratou uma auditoria para monitorar os valores da conta. Segundo os documentos exibidos, o jovem ainda tem cerca de U$S 420 mil para receber em contratos já assinados, o que daria cerca de R$ 2,2 milhões na cotação atual.

O empresário também rebateu as acusações de Iran e afirmou que não o considera uma pessoa “ingênua”: “Não considero ele ingênuo, considero ele muito inteligente. Ninguém cresce tanto na internet sendo 100% ingênuo. Eu decidi trabalhar com ele porque eu acreditava muito no potencial dele, porque eu tinha certeza que ele podia fazer tudo aquilo que imaginava. Como ele não sabe ler e escrever se ele estudou?”.

“Quando assinamos o contrato estava eu, o Iran, a mãe dele e o pai dele. Eu fiz a leitura do contrato para eles. O Iran constituiu uma advogada um mês depois, que teve acesso ao contrato e, em nenhum momento, essas acusações foram colocadas em xeque. Todos os nossos contratos ainda não foram pagos e nunca faltou nada pra ele”, acrescentou.

Por fim, Allan Jesus falou sobre os novos representantes de Luva de Pedreiro, entre eles o ex-jogador de futsal Falcão. “Ele afirma que estava em contato com o Iran desde abril, dando orientações, isso vai ser tratado de forma judicial com ele. É uma atitude que não é comum. Uma pessoa entrou em contato direto com o pai do Iran, pra oferecer um presente, uma camisa do Falcão autografada, querendo pagar pra ele receber esse presente sem eu saber”, disse.

Falcão se defendeu, garantindo que pode provar sua inocência: “Mais uma acusação pra tentar ganhar vantagem financeira. Eu não estava preparado, eu não trabalho com isso. Foi apenas um pedido de socorro que, para o azar dele, eu tenho todas as conversas desde o dia 22 de abril. E eu acredito que entre ele falando, e o Iran e os pais falando, o pessoal vai acreditar mais em quem tem coração e claramente está falando a verdade”.

Assista à reportagem completa:



Quem é o Luva de Pedreiro?

Aos 20 anos e nascido no interior da Bahia, o jovem Iran Ferreira se tornou um fenômeno da internet com gols incríveis feitos em um campo de terra. Para imitar os craques do futebol europeu, que na época de frio severo, costumam usar luvas em campo, ele comprou uma “luva de pedreiro”, e passou a usá-la em seus vídeos. Atualmente com 14,6 milhões de seguidores apenas no Instagram, além de outros 16,9 milhões no Tik Tok, “Luva de Pedreiro” já teve seus bordões entoados até por Cristiano Ronaldo. Receba!
PostarEscrevaum Comentário
Cancel