Mulher morre ao misturar água sanitária com detergente

Em época de pandemia, a higienização de superfícies, compras trazidas de supermercados, mãos, etc. se tornou uma das principais formas de prevenir contaminações. Com essa finalidade, os principais produtos utilizados são: o Hipoclorito de Sódio, NaOCl, (vendido como Água Sanitária) e o Etanol 70ºGL, CH3CH2OH, (de nome comercial Álcool).

O risco à saúde passa a existir quando, pensando aumentar a eficiência de combate ao coronavírus, algumas pessoas misturam esses produtos com outros do dia a dia, como por exemplo vinagre, provocando reações químicas que liberam substâncias tóxicas.

Foi o que aconteceu com a jovem Leah Seymour de 34 anos, de Londres, Inglaterra, que fazia uma limpeza em um lava a jato quando sofreu um desmaio após ter um ataque de asma.

Segundo os colegas de trabalho, Seymour misturou água sanitária com outros produtos de limpeza como detergente. Minutos depois, teria passado mal ao respirar os vapores produzidos pela mistura.

Ela foi encontrada desacordada pelo dono da lava a jato, Peter Seferi, que iniciou a ressuscitação cardiopulomar orientado ao telefone pelo serviço britânico de saúde enquanto esperava pela ambulância. Após dar entrada às pressas na emergência do hospital, ela foi colocada em coma induzido, mas morreu após 4 dias na UTI.

O laudo dos bombeiros confirma que o ataque foi ocasionado pela mistura dos produtos de limpeza com a água sanitária. A mistura, potencialmente perigosa, produziu um gás venenoso que levou ao ataque severo e fatal de asma.

Os fabricantes de produtos fizeram um alerta e pediram para que as pessoas não façam misturas de produtos de limpeza e sempre leiam o correto uso e manuseio dos produtos nas orientações das embalagens.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Finanças