Conta de luz deve ficar sem cobrança de taxa extra até o final do ano, revela ONS

A recuperação dos reservatórios das hidrelétricas ao longo do período úmido, que se encerra agora em abril, garantiu um conforto para a geração elétrica do país não visto há dez anos, indicando custos menores para os consumidores. Isso fará com que a conta de luz não tenha a cobrança de taxa extra para bancar as usinas termelétricas. A expectativa é do diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Carlos Ciocchi.

Depois de oito meses sendo cobrada a bandeira de escassez hídrica, a expectativa é que a partir do dia 16, sábado, a taxa deixe de ser cobrada. A cobrança deveria ocorrer até o final de abril, mas o governo Federal decidiu antecipar a data.

Conforme o dirigente, durante coletiva de imprensa, após a pior crise hídrica em 90 anos em 2021, o país registrou chuvas no período entre novembro do ano passado e abril deste ano. Com isso, o armazenamento dos reservatórios no Sudeste/Centro-Oeste, chegou em abril o melhor nível desde 2012.

A expectativa do ONS é de que a capacidade dos reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN) chegue em novembro, no fim do período seco, com nível mínimo de 40% e máximo de 60%. Isso permitirá que o país utilize apenas geração termelétrica que não são desligadas normalmente, impedindo custos adicionais aos consumidores.

A estimativa é de que o país acione entre 4 mil MW e 6 mil MW de termelétricas em 2022, contra 20 mil MW em 2021no ano passado. Com isso, avalia Ciocchi, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve manter acionada a bandeira tarifária verde até o fim do ano.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Finanças