Casal pegou carona com “turma” desconhecida e namorada acabou morrendo

Mãe de jovem confirmou racha que começou do “nada” e diz que filho escapou pela 2ª vez de morte no trânsito

“Eu perdi minha menininha, agora ela é uma estrelinha”. É assim que Jheyson Viturino Martins, de 19 anos, se refere à namorada Roberta da Costa Coelho, de 25 anos. A jovem morreu de forma trágica no acidente de carro que aconteceu na madrugada do último sábado (16), na Avenida Júlio de Castilho.

Jheyson contou para a mãe, Alessandra Gobetti, de 35 anos, que eles estavam em um lugar "parecido com uma boate" e que por volta das 3h da manhã, decidiram ir embora. Segundo a mãe, o casal só entrou no carro porque William Goes Abbade, condutor do Ford Ka envolvido no acidente, ofereceu carona.

Alessandra contou ao Campo Grande News que o filho e a nora não conheciam ninguém que estava no carro e que o filho contou que o racha começou do “nada”. “Só começou do nada, não teve uma proposta, eles começaram a correr e depois disso, ele não lembra de mais nada”, relatou a mulher.

O casal estava junto há cerca de quatro meses. A mãe não quis autorizar a entrevista do filho, mas disse que conversou muito com Jheyson sobre o que ocorreu na madrugada de sábado.

Segundo Alessandra, o filho e a namorada estavam sentados no banco de trás, junto com mais três pessoas. "Na hora do acidente, ele escutou a Roberta gritando, pedindo por socorro e não pôde fazer nada", diz.

Jheyson teve ferimentos leves, alguns cortes na cabeça e nos dois braços, foi atendido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida e recebeu alta no mesmo dia. “Ele não foi no velório, está muito abalado com a morte dela, chora muito com isso”, garante Alessandra.
O caso - O acidente aconteceu por volta das 4h30 de sábado, na Avenida Júlio de Castilho, quase esquina com a Rua Antônio Ferreira Damião. Segundo boletim de ocorrência, o Ford Ka, ocupado por sete pessoas, passou em alta velocidade, o motorista perdeu o controle e, ao desviar para direita, bateu de frente no poste de energia elétrica.

O delegado Antônio Ribas disse ao Campo Grande News que conversou com Jheyson na UPA Vila Almeida. Ele confirmou que o condutor do Ford Ka disputava racha com o motorista de “Gol quadrado branco”, mas não soube dizer quem era essa pessoa no outro carro. O velocímetro do Ford Ka parou em 105 km/h.

Testemunha entrou em contato com a Polícia Civil e disse ter presenciado os dois condutores disputando racha e conseguiu anotar a placa do Gol. A polícia já identificou o proprietário do veículo.

Os passageiros - Dois dos sete passageiros do Ford Ka tiveram alta do hospital na tarde de sábado (16). Loraine Fernandes Marçal, de 23 anos, e Matheus da Silva Alves, de 19, foram encaminhados para a Santa Casa.

Outra passageira, Andréia da Silva Xavier, 33, precisou passar por uma cirurgia ortopédica na perna esquerda, mas está consciente e orientada, com respiração espontânea e comunicativa. Por enquanto, está com um fixador externo na perna operada e recebe medicação controlada.

O estado de saúde do condutor do carro, William Goes Abbade, 36, não foi divulgado porque ele está sob escolta policial, indiciado, preliminarmente, por homicídio simples, por conduzir sob influência de álcool e por participar de corrida, disputa ou competição de corrida em via pública. Ele foi socorrido em estado gravíssimo.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Finanças