Advogado de Gabriel Monteiro foi expulso da PM e é suspeito de estelionato e de agredir duas ex-companheiras

Advogado Sandro Acácio foi expulso da Polícia Militar por cobrar "taxa de segurança" de moradores da Zona Oeste do Rio. Ex-companheira diz que recebeu socos e teve cabelo puxado após festa em camarote da Sapucaí.


O advogado do vereador Gabriel Monteiro, Sandro Acácio Fraga Gramacho de Figueiredo, é um ex-policial militar expulso da corporação e é alvo de investigações. Sandro Acácio também é suspeito de agredir a ex-companheiras.

A defesa do vereador foi expulso da Polícia Militar em 2006, depois de ser preso administrativamente. O RJ1 conseguiu um boletim interno da Corporação, confirmando a informação.

Sandro foi denunciado por moradores da Taquara, na Zona Oeste do Rio, por ameaçar e extorquir dinheiro aos moldes de uma milícia. Segundo esses moradores, ele e outro PM prestariam um serviço, chamado por eles de "segurança", com valor entre R$ 15 e 30 por mês.

Na época, o então policial militar negou os fatos. Apesar disso, a Corregedoria concluiu que ele desconsiderou a ética policial militar e que não era capaz de continuar no quadro da corporação.

Sandro Acácio não chegou a responder na esfera criminal por essa denúncia.

Ex-companheiras denunciam agressões.
O ex-policial Sandro Acácio também responde a um inquérito por estelionato e outros dois inquéritos de lesão corporal contra ex-companheiras.

Uma delas disse, na delegacia da Taquara, que a briga começou em um camarote na Marquês de Sapucaí, no carnaval de 2020. Em seguida, ao chegar em casa, foi agredida e jogada no sofá. Ela afirmou que recebeu socos e teve o cabelo puxado.

Outra ex-companheira deu um relato semelhante pouco mais de um ano depois na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, também na Zona Oeste.

Ela diz que estava tomando banho quando Sandro Acácio invadiu o banheiro e deu socos, tapas e pontapés. Foi essa mesma mulher que registrou uma ocorrência de estelionato contra o ex-companheiro.

Ela relata que Sandro realizou a transferência do automóvel dela para o próprio nome de forma fraudulenta. Depois desse fato, teria rebocado o veículo -- um Jeep Renegade avaliado em R$ 70 mil - sem o consentimento da ex.

O RJ1 informou na última semana que os quatro policiais militares da escolta de Gabriel Monteiro também têm passagens pela polícia. Um deles já foi condenado por homicídio.

O que diz o citado

A reportagem entrou em contato com o advogado Sandro Acácio, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Finanças