Abandonado por ‘amigos de copo’, cadeirante é executado

- velha frase ‘amigo é Deus’ teve sua eficácia comprovada em um caso que envolve ‘abandono’, ‘falsidade’ e a prova que, com as devidas exceções, na ‘hora do fogo’, é ‘cada um por si’, na Zona Leste de Manaus.

O exemplo aconteceu com Anderson Hidalgo Tavares, 37, que foi morto a tiros na tarde deste sábado (16), na Travessa Verão, Conjunto Ouro Verde, bairro Coroado.

A vítima, que era cadeirante, bebia com ‘amizades’, quando, por volta de 18h15, um carro, ainda não identificado parou perto do grupo e vários disparos foram feitos do interior do veículo.

Os amigos de Anderson ‘deram no pé’ e ele foi deixado para trás. Os tiros atingiram a cabeça e o tórax da vítima, que chegou a ser levada para uma unidade hospitalar, mas não resistindo.

A polícia foi acionada, mas a ‘Lei do Silêncio’ impera no bairro e ninguém quis dar detalhes sobre o veículo ou falar do caso. Agora, a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros investiga as motivações da morte de Anderson e identificar os autores.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Finanças