Advertisement


Apesar de a menina ter permitido a entrada do rapaz, o fato de ela ter idade menor que 14 anos, e ele 18, caracterizou a relação sexual como estupro de vulnerável.

Conforme o relato da mãe, na manhã dessa quarta-feira (21) ela encontrou diversas marcas no pescoço da filha e a questionou sobre o que seria. A menina, então, respondeu se tratar de um problema de pele.

Desconfiada, a mãe pediu que a filha levantasse a blusa e viu que havia diversas marcas de “chupões” nos seios da menina.

Só então a pré-adolescente contou que na noite da terça-feira (20) recebeu um rapaz em seu quarto, que entrou pela janela, e manteve relação sexual com ele.

Ela contou quem era o rapaz e a mãe procurou a polícia, que foi até a casa dele e o levou para a delegacia para ser ouvido, assim como a menina e a mãe dela.

O rapaz, segundo os policiais que atenderam a ocorrência, também estava com marcas no pescoço e afirmou terem sido causadas pela pré-adolescente, durante o ato.

O Conselho Tutelar acompanha o caso, que será investigado pela Polícia Judiciária Civil.

Post a Comment